ECO lar

Zero Waste – Diga NÃO ao desperdício em sua casa

O mundo não é uma fonte de recurso inesgotável. Precisamos preservá-lo e sua necessidade é urgente. O movimento Zero Waste surge em cena com o intuito de conscientizar e proteger nosso planeta abolindo o desperdício desenfreado.

https://burst.shopify.com/photos/eco-friendly-lunch-kit?q=eco+decor

A concepção de Zero Waste, termo que traduzido significa “Desperdício Zero”, surge acompanhando a difusão dos assuntos em torno da sustentabilidade e seu entendimento está relacionado com a ideia de promover um melhor reaproveitamento dos nossos lixos.

Com a missão Zero Waste, os descartáveis estão saindo timidamente de cena e dando espaço para um modo de viver mais sustentável. O número de pessoas que se envolvem em projetos como esse ainda é irrisório e as ações ainda muito modestas, pois a sociedade ainda resiste em abandonar alguns comodismos proporcionados pela vida moderna. No entanto, mesmo singelo, esse número vem crescendo, e cada vez mais as pessoas vão se tornando conscientes da mudança que precisam fazer para preservar o meio ambiente. E você, já se deu conta que o futuro do planeta está em nossas mãos?

1) Mas afinal, o que é Zero Waste?


Zero Waste é uma medida ética e econômica que norteia a um modo de vida e práticas mais sustentáveis, nos quais materiais são elaborados de modo que seja possível reaver sua serventia através de sua reutilização pós- consumo.

Pode-se afirmar, portanto, que Zero Waste é um estilo de vida pautado na sustentabilidade, no qual o intuito é criar hábitos que possam reduzir ou até mesmo zerar a produção de lixo, diminuindo de maneira considerável o impacto deste ao meio ambiente.

Esse movimento traz à tona a conscientização sobre seu próprio consumo e sobre o destino dos resíduos que você produz, na tentativa de reduzir o impacto negativo que você acarreta ao mundo.

A essência desse movimento se baseia nos 5 R’s: recusar, reduzir, reusar, reciclar e rot (decompor). Mas, muitas fontes ainda adicionam mais R’s no embalo: repensar, recuperar, reparar, reintegrar... são R’s a perder de vista! Independente de quantos R’s estejam envolvidos nesse desafio, o fato é que todos têm o propósito de tecer um melhor rumo e reaproveitamento dos resíduos por nós produzidos, sejam eles recicláveis ou orgânicos, e para isso, cabe a nós seres humanos reavaliar a maneira como é tratado tal conteúdo.

Precisamos REPENSAR nossas atitudes para com o planeta, começando por REDUZIR o consumo desenfreado e desnecessário, e aprendendo a RECUSAR adquirir produtos que não colaboram para uma vida mais sustentável. RECUPERAR, RECICLAR e REUTILIZAR itens que já possuímos, fazendo-os REINTEGRAR sempre que possível ao meio. Isso tudo faz bem ao nosso bolso, ao nosso planeta e nos torna cidadãos mais conscientes e responsáveis. Dessa forma, podemos REPARAR os danos já causados à natureza, garantido às atuais e futuras gerações uma realidade mais equilibrada e harmônica.

2) A conscientização sobre o descarte e o destino dos nossos lixos


Você tem noção da quantidade de lixo que é produzido em sua casa ao longo de um dia? De um mês? De um ano? E você já parou para pensar qual o destino do lixo ao sair da sua casa? A realidade é que muitas pessoas consideram que, ao sair de suas casas – e consequentemente de suas vistas – os rejeitos fogem de sua responsabilidade. Encaram como se aquilo fosse responsabilidade do gari, do serviço de coleta, do governo ou de quem quer que seja, menos dela. Triste saber que esse ainda é o pensamento da maioria da população, quando na verdade, o lixo que você gera é responsabilidade sua. Ele pode sair da sua casa, da sua vista, mas não sai do planeta. E a responsabilidade por preservar esse mundão depende da ação de cada um de nós, meros habitantes. E já que chegamos até aqui, cabe a indagação: qual o planeta que você quer deixar para as futuras gerações?

São toneladas e mais toneladas de lixo produzidas todos os dias e desse montante apenas uma porcentagem minúscula, para não se dizer ridícula, é reciclado. A maior parte segue para aterros, e para somar, não são feitas políticas públicas suficientes de coletas seletivas adequadas.

É em meio a essa realidade que aflora o movimento do Zero Waste, sob a necessidade de um olhar mais atento e cuidadoso a esta causa. Repensar sobre nossas ações é necessário – e mais que isso, urgente – e uma forma de começar é tendo uma noção real do lixo gerado por nós mesmos.

À primeira instância pode não parecer muita coisa: umas sacolas aqui, umas caixas acolá..., mas se você parar e prestar atenção irá acabar percebendo que a maioria das coisas a sua volta é simplesmente lixo, virará um dia rejeito, despejo.

Preocupadas com a conservação do nosso planeta, algumas empresas já estão desenvolvendo políticas mais sustentáveis e adotando medidas de Zero Waste em seus serviços e produtos. As embalagens estão sendo repensadas, mas mais do que isso, essas empresas estão difundindo uma conscientização ambiental, semeando boas ações e mudando os hábitos de consumo de seus usuários.

E independente do ramo, o que importa é aderir a causa: vemos empresas de cosméticos adotando refis, empresas alimentícias adotando canudos, copos e talheres reutilizáveis, empresas de roupas adotando políticas para evitar o desperdício de tecidos. E todas estão de parabéns, servindo como exemplo e dando o primeiro passo para um mundo melhor! Valorize-as!

3) Medidas Zero Waste


O movimento Zero Waste engloba ações mais sustentáveis, como por exemplo: optar por compras a granel e a adoção de sacolas ecológicas, canudos, copos e embalagens reutilizáveis. Porém, a inspiração à causa pode ir muito além disso: o cultivo de ações como produzir seus próprios produtos dentro de casa é um exemplo simples disso, mas de suma importância.

Vejamos a seguir algumas medidas simples e práticas que podem ser aplicadas a qualquer momento (o quanto antes melhor, o mundo tem urgência!) para quem pretende adotar o estilo de vida Zero Waste:

Sabe aquelas sacolinhas plásticas distribuídas em supermercados e lojas? Pois é, essas coisinhas que parecem tão inocentes são altamente danosas ao meio ambiente. Elas podem levar muitas e muitas décadas para se decompor. Mas não criemos pânico: para substituir essas pequenas vilãs temos algumas alternativas como as ecobags, sacos de papel e caixas de papelão.

As ecobags são itens retornáveis e que contribuem para a redução dos impactos ambientais no nosso planeta. Elas são práticas para o cotidiano, mais resistentes e com alta durabilidade. Além disso, hoje, existem vários modelos estilosos, medida inclusive, para incentivar sua adoção.

Sacos de papel também são ótimas opções. Eles já são adotados por alguns estabelecimentos, porém de maneira ainda acanhada. Esse tipo de material possui propriedades que permitem a sua reciclagem.

Caixas de papelão também são excelentes escolhas para se evitar o uso de sacolas plásticas. É fato que muita gente não gosta delas por não terem alças e isso as torná-las menos práticas de carregar, mas para quem costuma ir de carro às compras, e pretende transportar muitas coisas, pode ser uma opção bem vantajosa.

Outra ação Zero Waste de fácil execução e que está ao seu alcance é a adoção de composteiras domésticas para dar um rumo aos seus resíduos orgânicos. Esses resíduos são capazes de produzir adubo poderoso para plantas e hortas e o que é mais legal disso tudo é saber que seu lixo pode ser transformado em vida. Portanto, que tal dar uma chance às composteiras?!

Reaproveitar embalagens também está no rol de ações da sustentabilidade. Dê preferência as de vidro, que possuem durabilidade maior, assim, após o consumo, elas podem ser reaproveitadas para estocar alimentos a granel.

E por falar nisso, comprar a granel só tem vantagens! Você pode levar sua própria embalagem no momento da compra, o que já te poupa o custo da mesma, além de só precisar adquirir a quantidade do produto que for realmente utilizar, evitando assim o desperdício.

Investir em kits ecológicos também se mostra com grande relevância para a missão Zero Waste. Abandonar copos, canudos e talheres de plásticos, e adotar esses itens reutilizáveis, carregando-os consigo ou deixando-os em locais acessíveis, se apresenta como uma importante iniciativa. Estar sempre preparado para evitar a utilização desses descartáveis poupam o meio ambiente do impacto que eles causariam.

Criar o costume também de carregar consigo garrafas e/ou canecas térmicas poupam o meio por não adquirir mais plástico e poupam seu bolso por não precisar comprar água toda vez que a sede bater. Os benefícios vão além e poupam também a sua saúde. Ter uma garrafinha sempre por perto faz você adotar o hábito de beber mais água e no final das contas sua saúde agradece!

Preparar sua própria marmita é outra medida que só traz benefícios. Seja para carregar almoço, lanche ou janta, o importante é que você evita de consumir embalagens descartáveis. Isso faz você economizar dinheiro, e de quebra, é mais saudável.

Compre menos, cozinhe em casa, troque o fast food pela comida caseira - para evitar pedir comida que acompanham embalagens descartáveis - e tente aproveitar o alimento de forma integral para se evitar o desperdício.

Por ultimo, mas não menos importante, zele por tudo que possui. Restaurar o que parece não ter mais serventia faz parte dessa prática. Evite jogar fora e comprar coisas novas. Essa não é a solução. Adote o ato de compartilhar ou simplesmente troque com os vizinhos. Assim você economiza ao mesmo tempo que pratica a gentileza e o desapego.

4) Zero Waste: envolva-se nesse movimento

Adotar o estilo de vida Zero Waste pode despender bastante esforço, até mesmo porque mudanças de hábitos trazem consigo certas dificuldades, mas tenha certeza que vai mudar, e muito, sua vida para melhor. Afinal, a redução de lixo em seu meio pode ser sinônimo de mais tempo, mais espaço, mais economia e, consequentemente, menos coisas (desnecessárias), menos gastos (desnecessários) e menos desperdício, fato!

Nosso planeta pede socorro e clama por mais medidas sustentáveis. Não podemos ficar a mercê apenas da reciclagem e da esperança de políticas públicas. O Zero Waste vem para reforçar essas ações, indo mais a fundo: na nossa consciência. A mudança começa por nós mesmos, dentro da nossa casa, do nosso trabalho, da nossa comunidade, mas sobretudo da nossa mente.

Como já foi visto, pequenas atitudes são suficientes para poupar nosso planeta. Somos capazes de mudar a realidade do lixo no meio ambiente. Essa jornada sem desperdício é viável. Só depende de nós!